Febraban orienta a não aceitar notas manchadas de tinta

1
  • Sharebar

Este é um post de utilidade pública, evite perder seu dinheiro ou ser acusado de roubo, quando ver notas manchadas de tinta, recuse!

A Febraban (Federação Brasileira dos Bancos), emitiu nota onde orienta a população a rejeitar as cédulas que estiverem manchadas de tinta. Isto porque, boa parte dos caixas eletrônicos está equipada com um dispositivo que mancha as cédulas com tinta rosa após a explosão do terminal por ladrões de banco.

A federação informa que as cédulas manchadas estão sendo tratadas da mesma forma que as notas falsificadas. A Febraban esclarece que o dinheiro não perde seu valor, mas diz em nota publicada em seu site que as pessoas podem se recusar a receber o dinheiro marcado.

Os bancos estão orientados a reter as notas marcadas, fazer a identificação do seu portador e encaminhar as cédulas suspeitas para análise do Banco central. A Febraban e o Banco Central têm se reunido constantemente para adotar procedimentos que ajudem a coibir os roubos a terminais e dificultar o uso do produto roubado.

OBS: Quem mesmo de boa fé aceitar uma nota manchada, ao repassá-la pode ser suspeito ou até mesmo preso até que prove sua inocência. Para estar a salvo desse problema nunca aceite notas manchadas.

Repassem esta mensagem para seus amigos e parentes, divulgue o post pelo facebook, orkut, twitter e email!




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


1 Comentário

  1. Elias disse:

    A moeda pertence à União e o seu valor intrínseco ao particular, nos exatos termos dos artigos 98 e 99 do Novo Código Civil. Assim, se a própria pessoa rasga, suja, destrói, inutiliza, papel-moeda ou metálica, ainda que seja de sua propriedade estará configurado o crime de dano qualificado, previsto no artigo 163, parágrafo único, inciso III, do Código Penal Brasileiro.

    Assim, quem rasga dinheiro, comete crime contra o patrimônio da União, pois logo estará destruindo coisa alheia móvel, devendo ser o comportamento doloso, dinheiro como sendo o bem material, o patrimônio o objeto jurídico. Trata-se de crime comum, material, de forma livre, comissivo, instantâneo, de dano, unissubjetivo, plurissubsistente

    BACEN, favor respeitar as leis vigentes e não destruir patrimônio público.

Deixe um comentário


© 2012 Recebi por e-mail. Todos os direitos + esquerdos + meia lua pra trás + soco forte reservados.